Saber-Literário

Diário Literário Online

Tabocas – Itabuna

Postado por Rilvan Batista de Santana 13/05/2017

Tabocas – Itabuna


Foi aos mil e oitocentos e quarenta e nove...
................................................................................................

Alma de pioneiro altivo que remove
Aquilo que se opõe à sua caminhada
FÉLIX DO AMOR DIVINO, aventureiro e forte,
Partira de Sergipe aventurando a sorte
E agora está feliz!... Prossegue na jornada!

Já não lhe basta agora a roça MARIMBETA
Chegaram seus irmãos... e então projeta:
MANOEL CONSTANTINO, avante, outra fazenda!...
Vamos abrir lugar, seja onde for; preciso!...
Transformar esta mata em nosso paraíso...
E o crioulo escutou... sonhando a grande prenda!...

Seu amo era tão bom... jamais o desprezara...
Pensava... e de repente... assim, a ideia clara...
Partiu a procurar um local diferente...
Depois de muito andar... parou... quase um encantado
Estava bem defronte o lugar desejado...
Lado esquerdo do rio... estava à sua frente!...

A mata vai gemendo... e a terra se estremece...
E o matagal cortado em fúria, desfalece...
MANOEL CONSTANTINO é um ciclone humano,
Mas, um jequitibá exsurge inesperado...
Vetusto e gigantesco e não deteriorado...
Constantino prevê então trabalho insano...

São contratados, logo, uns fortes machadeiros...
E os dois irão cortar com golpes ligeiros,
Postados face a face, ao redor do gigante!...
Aquele que o machado entrar como uma broca,
Cortando mais veloz, então dará taboca
Por derribar primeiro o tronco agonizante!

Um grupo torcedor espera o resultado...
No silêncio da espera escuta-se o machado
E o arvoredo a gemer, ao golpe que lhe toca...
Num lance mais veloz – um MACHADEIRO o corta!
Treme JEQUITIBÁ... e cai... árvore morta!...
E a turma brada e aplaude... a lhe gritar TABOCA!

Aberta estava a mata agora ao CONSTANTINO...
É o mundo que sonha FELIX DO AMOR DIVINO...
Um novo povoado exsurge florescente!...
Mas... há um coração que quer dias melhores,
Que quer civilidade e músicas e flores,
Que sonha desta selva – a cidade nascente!

TABOCAS – gozarás feliz prosperidade!
Hás de crescer... enfim...serás uma cidade!
Não é que teu ditoso encanto te ressalves;
Mas é que existe ALGUÉM que sonha engrandecer-te
Que ao concerto da vida espera enobrecer-te,
É o grande lutador – José Firmino Alves!...

E os sonhos de Firmino Alves, como os de seu tio,
Os óbices vencendo, avançam como um rio...
Eis vibra de alegria a gente Grapiúna...
Surge Olinto Leone o primeiro Intendente...
Libertou-se o arraial...é Vila... Independente!

ITABUNA! ITABUNA!... Eis o passo seguinte!...
Novecentos e dez... Eis o século vinte!...
Eis VINTE E OITO DE JULHO – o teu dia sublime...
Afinal és CIDADE em toda fulgurância...
A Bahia se ufana em fidalga elegância,
Que ao Brasil teu cacau a lavoura redime!...

***
Itabuna, fevereiro de 1960
Nataniel Ruben Ribeiro Gonçalves

(Ensaios Históricos de Itabuna, O JEQUITIBÁ DA TABOCA – 1ª Edição 1960)

Manoel Bomfim Fogueira e Oscar Ribeiro Gonçalves.

0 comentários

Postar um comentário

Recomende este blog!!!

Postagens populares

Divulgando Trabalhos Literários (Livros,Contos, Crônicas)

"Divulgando Trabalhos Literários (Livros,Contos, Crônicas e Poesias)"

Minha lista de blogs

bookmark
bookmark
bookmark
bookmark
bookmark

Diário Online

Diário Online
rilvan.santana@yahoo.com.br

Perfil

Perfil
Administrador

Perfil

Perfil
Antônio Cabral Filho - Escritor e coadministradores

Estatística Google (Visualizações)

Google Tradutor

Patrono

Patrono
Machado de Assis

PARCERIAS

Bookess

ABL

R. Letras

DP

Links de livros, crônicas, contos, cartas, etc.

Links de livros, crônicas, contos, cartas, etc.
Tecnologia do Blogger.