Saber-Literário

Diário Literário Online

CLARICE- Mateus Cosentino

Postado por Rilvan Batista de Santana 08/03/2017

CLARICE

“Não, nunca fui moderna. E acontece o seguinte: quando estranho uma pintura é aí que é pintura. E quando estranho a palavra aí é que ela alcança o sentido. E quando estranho a vida aí é que começa a vida”. Clarice Lispector – Água Viva, página 100.

Ao terminar de ler o livro ‘A Hora da Estrela’ fiquei encantado com o talento e o estilo de Clarice Lispector. Mas fiquei com uma impressão de que já havia lido a autora. Claro! Lembrei de que nas Redes Sociais, eram comuns as citações dela. Sempre havia frases da autora respingando na “linha do tempo” da tela do meu monitor. Mas era mais do que isso, trazia comigo certo conceito sobre a escritora. Lembrei-me do vídeo de uma entrevista, onde ela aparecia abatida, dizendo que estava muito deprimida. Também recentemente vi na televisão alguns capítulos da série "Correio Feminino" baseada em seus escritos na coluna do jornal carioca Correio da Manhã, sob o pseudônimo de Helen Palmer. Mas também não era isso.

Fui então fuçar em minha biblioteca. (Sou um daqueles que ainda tem isso.) Ali, encontrei um livrinho de capa dura, impresso provavelmente em 1975, para o Círculo do Livro. Ao rever suas folhas, lembrei-me de o haver lido quando tinha trinta e dois anos. Porém um marcador indicava que o lera apenas até a página trinta. Aos poucos, fui lembrando o porquê de haver abandonado a leitura. Era um período difícil para mim. Casado, com um filho de dois anos, em novo emprego e com pouco tempo para o lazer, não tive paciência em continuar a ler o que me parecia uma “narrativa verborrágica sem filtro, sem enredo e aparentemente sem nexo”. Coloquei o livro na estante e lá o deixei por esses trinta e nove anos.

Mas após ler com tanto prazer e admiração a história de Macabéa, resolvi reler Clarice. Mais velho, com mais tempo e mais leituras nas costas, surpreendi-me ao ter a mesma impressão inicial na releitura. Porém agora tenho todo o tempo e toda a paciência que me faltavam na juventude. Fui então me informar mais sobre a obra. A análise em forma de tese que encontrei, deixou-me impressionado sobre a profundidade e intensões da obra que continuava a não entender.

Então, mesmo assim, resolvi ler para além da página trinta, forçadamente até o fim do livro. E enfim achei que entendi e escrevi no rodapé de uma página: “Puxa vida Clarice, você imaginou que estava fazendo tudo isso que está na tese que li sobre sua obra? Ou só se deixou levar pela corrente (de água viva) incontida de um rio de palavras? Pois é; nós só somos complexos para quem nos analisa”.

Sou muito crítico. Sou o maior crítico de mim mesmo e faço isso com tudo o que faço. E era isso que estava fazendo a cada linha de Água Viva. Mas então – de repente – relaxei e deixei Clarice me levar pelo pensamento lúdico e não mais pela lógica. E me assustei ao perceber que lia poesia. Uma poesia não intencional, em forma de prosa. Uma poesia solta, livre e pensada no ato de ser escrita. Por isso, qualquer trecho de seu texto, pode ser citado como um aforismo. Com este novo olhar, comecei a reler diversos trechos, escolhidos ao acaso (como o que está lá no início). Todos podiam ser reformatados em forma poética! E quanta gente já deve ter descoberto isso. Clarice não inventou a “proesia”, mas a elevou talentosamente a um modo de ser, a um estilo de viver. Vejam só minha heresia demonstrativa de ‘versificar’ aquele texto acima:

Não, nunca fui moderna.
E acontece o seguinte:
quando estranho uma pintura
é aí que é pintura.
E quando estranho a palavra
aí é que ela alcança o sentido.
E quando estranho a vida
aí é que começa a vida.
 

Quando estranhei Clarice Lispector, comecei a entender e amar Clarice Lispector.


Mateus Cosentino

0 comentários

Postar um comentário

Postagens populares

Divulgando Trabalhos Literários (Livros,Contos, Crônicas)

"Divulgando Trabalhos Literários (Livros,Contos, Crônicas e Poesias)"

Minha lista de blogs

bookmark
bookmark
bookmark
bookmark
bookmark

Diário Online

Diário Online
rilvan.santana@yahoo.com.br

Perfil

Perfil
Administrador

Patrono

Patrono

Estatística Google (Visualizações)

Google Tradutor

PARCERIAS

Bookess

ABL

R. Letras

DP

Links de livros, crônicas, contos, cartas, etc.

Links de livros, crônicas, contos, cartas, etc.
Todos os nossos textos, abaixo, estão licenciados no Creatve Commons.
Tecnologia do Blogger.