Saber-Literário

Diário Literário Online

A DESLEALDADE DAS AVES DE RAPINA QUE SE DIZEM AMIGAS

Postado por Rilvan Batista de Santana 18/02/2017

A DESLEALDADE DAS AVES DE RAPINA QUE SE DIZEM AMIGAS - Uma das características

intrínsecas à vida em sociedade é, sem dúvida, a competição. A convivência, com semelhantes, nas mais diversas atividades humanas, leva à constante comparação de desempenhos. A concorrência entre os indivíduos, desde que se respeite um determinado limite, pode ser benéfica. Desde épocas muito remotas o ser humano já competia com o seu semelhante. Porém, com o passar do tempo, competir parece ter perdido o seu real significado. Competir, atualmente, tornou-se uma forma de vencer a tudo e a todos, a qualquer preço, desrespeitando até mesmo os limites da moral e da ética humana. Um exemplo disso tudo foi quando me assumir o cargo de Assessor de Imprensa da Câmara Municipal de Itabuna. Alguns colegas de imprensa tentaram convencer o presidente Chico Reis a me preteri, ou simplesmente me exonerar, logo após a minha posse. Os argumentos foram inúmeros e até com recorte de matérias que eu escrevi com críticas ao mesmo. Alguns desses colegas de categoria, foram autores dessa tentativa de minha exoneração e todos eles, me telefonaram, ou me enviaram e-mails e mensagens via whatsapp, me parabenizando e dizendo que eu era a pessoa mais oportuna para assume este cargo. Assim, o exemplo aqui citado é péssimo, choca, entristece. Pois todo profissional que se respeita vive daquilo que é seu, do que produz. Logo, para ser profissional de imprensa é necessário algo mais além de títulos. É preciso ser GENTE. E quem se apropria do alheio é, no mínimo, desonesto…Mas não vou falar dessa má ação, isso não é competir. Não vou falar da ‘pessoa’ que se apropria do alheio, seria dar fama a quem não a tem. Apenas o fato ilustra aquilo que é capaz o ser humano, em nome da competição (?!). Todavia nem tudo está perdido. Apesar de a competição gerar efeitos negativos como a inimizade, o egocentrismo, a falta de sensibilidade e o desrespeito aos limites impostos, ela também nos apresenta virtudes. Se não houvesse nenhuma competição entre os seres humanos, a vida não teria a razão que tem, e as conquistas não teriam o menor valor. Além disso, para que vivêssemos com tecnologia, indústria, classes sociais, f oi necessário, por exemplo, que espanhóis e portugueses lutassem pelo domínio das terras descobertas com a navegação, que russos e americanos competissem pela melhor tecnologia para viajar ao espaço. Foi essa competição que criou o mundo do qual fazemos parte. Na verdade, competir é um instinto humano. Graças a ele vivemos como vivemos hoje. Todavia, o seu sentido real deve ser resgatado, a fim de que vivamos melhor e que não sejamos vítimas de quem não sabe competir. Competir na era do capital humano exige muito trabalho, esforço e determinação. O ser humano, com toda a sua potencialidade, é a figura principal na formatação destes novos tempos e efetivamente pode fazer a diferença no sentido de construir não somente assessorias de imprensa mais ágeis e objetivas, mas, também, e principalmente, um mundo justo e humano, pois só assim terá valido à pena ter vivido estes novos tempos em que o capital humano é personagem principal da história... 


0 comentários

Postar um comentário

Recomende este blog!!!

Postagens populares

Divulgando Trabalhos Literários (Livros,Contos, Crônicas)

"Divulgando Trabalhos Literários (Livros,Contos, Crônicas e Poesias)"

Minha lista de blogs

bookmark
bookmark
bookmark
bookmark
bookmark

Diário Online

Diário Online
rilvan.santana@yahoo.com.br

Perfil

Perfil
Administrador

Perfil

Perfil
Antônio Cabral Filho - Escritor e coadministradores

Estatística Google (Visualizações)

Google Tradutor

Patrono

Patrono
Machado de Assis

PARCERIAS

Bookess

ABL

R. Letras

DP

Links de livros, crônicas, contos, cartas, etc.

Links de livros, crônicas, contos, cartas, etc.
Tecnologia do Blogger.