Saber-Literário

Diário Literário Online

Humor

Postado por Rilvan Batista de Santana 06/01/2017


A loira, grávida, lia a página de economia do jornal, quando o marido vê e fica espantado:
- Nossa! É a primeira vez que eu te pego lendo algo que não sejam os quadrinhos... O que você está procurando na seção de economia?

- É recomendação médica. O doutor disse que é para eu ir para o hospital assim que a Bolsa estourar.

***

Ao chegar de viagem, dona Tereza pergunta para o filho de cinco anos:
- E aí, Joãozinho? Correu tubo bem por aqui na minha ausência?
- Tudo mamãe! Só teve um dia que deu uma chuva muito forte e eu fiquei com medo e o papai veio dormir com eu.
- Comigo, Joãozinho! - corrigiu a empregada.
- Não, Maria! Isso foi no sábado! Eu estou falando de domingo, quando choveu!

***

Durante o jantar, Joãozinho conversa com a mãe:
- Mamãe, por que é que o papai é careca?
- Ora, filhinho... Porque ele tem muitas coisas para pensar e é muito inteligente!
- Então, por que é que você tem tanto cabelo?
- Cala a boca e come a sopa, menino!


***


Um soldado português que está colocado no Iraque, recebeu uma carta da sua namorada que dizia o seguinte:
"Querido João, não posso continuar com a nossa relação. A distância entre nós é simplesmente muito grande. Tenho de admitir que já te enganei duas vezes desde que te foste embora, e isso não está certo para nenhum de nós. Lamento muito. Agradeço que me devolvas a fotografia que te tinha enviado.

Beijinhos
Maria."

O soldado pediu aos seus colegas para lhe darem tantas fotografias quanto possível das suas namoradas, irmãs, tias, primas etc... À fotografia da Maria ele adicionou todas as outras fotografias de lindas raparigas, que os seus colegas lhe tinham dado. Havia 57 fotografias no envelope com um pequeno bilhete que dizia:
"Querida Maria, agora sou eu que lamento, mas não me lembro quem tu és. Agradeço que tires a tua fotografia do molho, e me devolvas as outras.

Sempre teu amigo,
João"


***




Um brasileiro, um italiano e um português estavam de braços atados atrás das costas, a ponto de ser fuzilados. Quando estão mesmo a apontar o brasileiro grita:
- Terremoto! Terremoto!
Os soldados debandam e o brasileiro foge pela floresta. Toca a vez ao italiano. Quando iam mesmo a disparar, o italiano grita:
- Inundação! Inundação!
Os soldados fogem e o italiano escapa.
Chega então a vez do português. Encostam-no à parede, os soldados apontam e o alentejano grita:




0 comentários

Postar um comentário

Recomende este blog!!!

Postagens populares

Divulgando Trabalhos Literários (Livros,Contos, Crônicas)

"Divulgando Trabalhos Literários (Livros,Contos, Crônicas e Poesias)"

Minha lista de blogs

THE END

bookmark
bookmark
bookmark
bookmark
bookmark

Diário Online

Diário Online
rilvan.santana@yahoo.com.br

Perfil

Perfil
Administrador

Perfil

Perfil
Antônio Cabral Filho - Escritor e coadministradores

Estatística Google (Visualizações)

Google Tradutor

Patrono

Patrono
Machado de Assis

PARCERIAS

Bookess

ABL

R. Letras

DP

Tecnologia do Blogger.