Saber-Literário

Diário Literário Online

História de Itabuna: Moradores de Tabocas decidem nome.

Postado por Rilvan Batista de Santana 31/01/2017

História de Itabuna

Moradores de Tabocas decidem nome
da nova cidade juntos com os líderes políticos que buscavam a emancipação administrativa e política desde 1904, só tendo conseguido seis anos depois, em 1910.
      Centro de um comércio desenvolvido e da cultura do cacau, prédios de alto valor, mais de mil casas de residência, diversas lojas de miudezas, casa de ferragens e padarias. Esse era o Arraial de Tabocas no início do movimento para a separação de Ilhéus e a troca de nome.
      A disputa entre os líderes locais ficou ainda mais acirrada nos anos que antecederam a emancipação política e administrativa do Arraial.
      De acordo com os historiadores, de um lado estavam os correligionários de José Firmino Alves, o fundador da cidade, e no outro ficavam o pessoal do coronel Henrique Alves do Reis. Os dois grupos lutando pela emancipação.
     
      Divergências
      O ponto de divergência estava em quem iria ficar com a glória da emancipação e teria mais privilégios junto à intendência de Ilhéus e ao governo do estado.
      Quem conseguisse a emancipação ficaria por cima na política local, mas a tarefa não foi nada fácil, pois a intendência de Ilhéus não estava disposta a abrir mão do seu mais importante distrito.
      Os debates em torno da escolha do nome para o arraial esquentaram em 6 de março de 1905. Dessa reunião participaram líderes como Ramiro Nunes de Aquino, José Firmino Alves, Paulino Vieira e Benigno Azevedo.
      Segundo o historiador Adelindo Kfoury Silveira, começa ali as sugestões de nomes, sendo os mais lembrados Firmino Alves e Henrique Alves. Os dois recusaram a homenagem, ao contrário dos "líderes" de hoje, ávidos de colocar seus nomes em obras e cidades.
      Adelindo conta que durante a reunião para a escolha do nome da localidade, como havia um grande impasse, o biscateiro conhecido como João Colete passou em frente à casa onde ocorria o encontro e gritou: "bota Maria Buna!" Maria Buna era o apelido de uma lavadeira da cidade.
     
      "Ita" + "Una"
      Depois de risos e protestos, o farmacêutico Artur Nilo de Santana, sugeriu Itabuna.
      No entanto, antes da sugestão do nome, o farmacêutico lembrou que, na língua dos índios, primeiros habitantes da localidade, "Ita" que dizer Pedra e "Una" Preta. Pedras pretas era o que não faltava no Rio Cachoeira, que atravessa a cidade.
      O nome de Itabuna foi aprovado por unanimidade dos presentes, mas só se tornou oficial tempo depois. A partir daí se intensificou a luta pela emancipação política de Tabocas.
      De 1905 a 1910 foram registrados diversos conflitos entre os correligionários dos líderes Firmino Alves e Henrique Alves que, embora tivessem sobrenomes iguais, não eram parentes. A batalha tanto ocorria no campo político quanto no das agressões físicas.
      Finalmente, em 28 de julho de 1910, após o governador da Bahia, João Ferreira de Araújo Pinho, sancionar a lei 807, Itabuna conseguia emancipação política e administrativa.
      A nota vergonhosa foi que o fundador da cidade, Firmino Alves, o homem que mais lutou e se dedicou a ela, não foi convidado para a leitura do ato de emancipação porque era opositor de Henrique Alves, que fez a apresentação do documento no Conselho Municipal.

Fonte: Memoria Grapiuna é um projeto da Fundação Jupará com patrocínio da rádio Morena FM 98.7 e jornal A Região.


  http://www2.uol.com.br/aregiao/art/hist/nomedacidade.htm

0 comentários

Postar um comentário

Recomende este blog!!!

Postagens populares

Divulgando Trabalhos Literários (Livros,Contos, Crônicas)

"Divulgando Trabalhos Literários (Livros,Contos, Crônicas e Poesias)"

Minha lista de blogs

bookmark
bookmark
bookmark
bookmark
bookmark

Diário Online

Diário Online
rilvan.santana@yahoo.com.br

Perfil

Perfil
Administrador

Estatística Google (Visualizações)

Google Tradutor

PARCERIAS

Bookess

ABL

R. Letras

DP

Links de livros, crônicas, contos, cartas, etc.

Links de livros, crônicas, contos, cartas, etc.
Tecnologia do Blogger.