Saber-Literário

Diário Literário Online

quando você percebeu que era amor? - Michelle Oliveratto

Postado por Rilvan Batista de Santana 11/12/2016

quando você percebeu que era amor? - Michelle Oliveratto   


Havia acabado a energia, mas restava um pequeno feixe de luz e eu aproveitava para ler Carlos Drummond de Andrade, mais especificamente o poema: “Quadrilha”. A escuridão tomaria conta do ambiente se não fosse esse feixe e uma luz maior que habitava dentro de mim, porque tinha acabado de descobrir, com a ajuda de Drummond, que aquilo que eu estava sentindo era amor. O amor que não me salvou a vida, mas me salvou da escuridão. Pra quem tem medo do escuro, isso é quase a mesma coisa.
consolo_na_praia.jpg

Quando me vi nos versos de Drummond, aquele que dizia: “João amava Teresa que amava Raimundo". Suponhamos que Raimundo também amasse Teresa. Eu seria João, o terceiro elemento dessa trindade e, ser quina, nunca remete a bons presságios. Elas sempre ocasionam topadas, dor e manchas roxas. Foi preciso me ver na figura de João aconselhando Teresa a ficar com Raimundo, para perceber o quanto que eu a amava, porque só o amor deixa a porta aberta, mesmo morrendo de medo que a pessoa amada vá embora. Mesmo correndo o risco de confundir liberdade com abando e te deixar diante da porta aberta e vazia.
Só o amor retém o choro na hora de dizer para atender o chamado do coração, dizendo que aquele outro alguém é o seu amor e manda-la ir à luta, ter paciência, persistência e fé, porque isso era exatamente o que eu faria. Desejar do fundo do coração para ser feliz, pois naquele momento a felicidade de Teresa era mais importante do que a preocupação de perdê-la por egoísmo de um amor não correspondido e, finalizar a conversa, beijando-lhe a testa, acompanhando até a porta e abençoando o caminho, exatamente como faria no primeiro dia de escola do filho que ainda não tenho, incluindo o coração angustiado e a represa que desagua no exato momento que desapareço do seu campo de visão.
Carlos-Drummond-de-Andrade.jpg

Nesse momento, o amor pode ser confundido com covardia, por abrir mão e deixar o caminho livre, mas tenho no peito a disposição para enfrentar uma guerra, paciência para vencer um monge, loucura que fez Van Gogh arrancar a própria orelha e a determinação de Ícaro para chegar ao sol, só para ver Teresa cruzando aquela porta e dizendo que rodou o mundo e voltou só para me contar e convidar para caminhar junto a ela, mas uma coisa que não disponho é da avareza para mendigar amor. Não se trata de orgulho, mas isso não se faz. Amor é sentimento nobre, artigo de luxo que se para permanecer, for necessário cobrar, pedir, exigir, implorar é melhor não ter, porque acaba virando queda de braço, cabo de guerra, tentativa infeliz de colonizar o outro. Amor é como assoprar um dente de leão, leveza e liberdade. É como admirar um quadro e respeitar as placas que orientam distancia e ausência de toque e, mesmo assim, se encantar. É sabedoria de rio que percorre seu caminho e não para mesmo quando encontra uma pedra. Percebe que é tudo leve, sutil e sem violência?
É esse amor que veio a tona, quando me vi nesse verso do poema “Quadrilha” de Drummond. Essa consciência de generosidade, desse sentimento grandioso. Foi preciso habitar essa trindade para ter a certeza que se isso não foi amor, foi o mais próximo que cheguei dele até hoje.



MICHELLE OLIVERATTO





Mineira, estudante de música e observadora incansável do mundo. Para mim escrever é preciso, navegar nem tanto. Sigo tentando acalmar toda folha em branco que se aflige com esse silêncio pautado.









obvious: 

http://obviousmag.org/infinito_particular/2016/quando-voce-percebeu-que-era-amor.html#ixzz4SVzoU2Ta


0 comentários

Postar um comentário

Postagens populares

Divulgando Trabalhos Literários (Livros,Contos, Crônicas)

"Divulgando Trabalhos Literários (Livros,Contos, Crônicas e Poesias)"

Minha lista de blogs

bookmark
bookmark
bookmark
bookmark
bookmark

Diário Online

Diário Online
rilvan.santana@yahoo.com.br

Perfil

Perfil
Administrador

Patrono

Patrono

Google Visualizações

Google Tradutor

PARCERIAS

Bookess

ABL

R. Letras

DP

Links de livros, crônicas, contos, cartas, etc.

Links de livros, crônicas, contos, cartas, etc.
Todos os nossos textos, abaixo, estão licenciados no Creatve Commons.
Tecnologia do Blogger.