Saber-Literário

Diário Literário Online

MENTIRAS DE AMOR - João Batista de Paula

Postado por Rilvan Batista de Santana 02/12/2016

MENTIRAS DE AMOR - João Batista de Paula 

A sinceridade deve ser a base de qualquer relacionamento para firmar o amor. Acredito que quem ama, não mente.  Quem ama, não trai. Quem ama, não maltrata. Quem ama, não inferniza a vida do outro. Quem ama, cuida. Quem ama, protege.  Quem ama, não mata. Quem ama, ama. Quem ama, quer estar sempre juntos, unidos, olhando as estrelas e os céus. Quem ama, gera felicidade. Quem ama, segue avante com sol ou chuva, com flores ou espinhos. Quem ama, manifesta a beleza de sentimentos e de gratidão.


Os segredos do coração somente o superior racional conhece e pode parar de matar o amor, porque as mentiras expressas  por várias vezes, com tanta firmeza e determinação, acabam funcionando como verdades. 

É preciso trazer a verdade à tona, para que o amor  verdadeiro prevaleça;  o amor amplo, o amor a humanidade, o amor de Deus, porque o amor não mata, não gera sofrimento, não causa dor, não trai, não mente, não exclui  sentimentos benéficos e que elevam os níveis de realização pessoal.


As mentiras de amor  geram sombras e duvidas, deixando de brotar flores e belezas numa vida a dois.  O time de Caim  mente, finge, mata, rouba, trapaceia, esconde o verdadeiro sentimento “ mentiroso” objetivando conquistar os seus interesses camuflados na mente maldosa.



As mentiras de amor geram consequências graves e  decepções.  Vamos ser sinceros, amar mais, edificar templos ao amor divino, ao amor que  gera vida, que constrói, que gera beleza e gratidão, satisfação, segurança, poesia, gentileza, doação e compaixão.


As mentiras de amor não ficam bem no relacionamento com as outras pessoas, nem com coisa alguma, porque vão gerando duvidas, desconfiança, medo, nojo, desprezo, revolta e  insatisfação, dando projeção e vez  a incredibilidade e as incertezas de que dias melhores virão.


Eu te amo; não que eu ache! Eu sou fiel meu amor; vou já me encontrar com a amante! Eu sou seu eternamente;  dormindo na cama com o inimigo. Eu te beijo; e o coração está bem longe de você. Eu escrevo amor; e apago com o desamor.


São terríveis as juras de amor, as alianças, os conchavos, as comemorações, as trocas de alianças, sentimentos, bens, comunhão de corpos,  pensamentos, almas, amizades e famílias, quando o amor não é aquele que vem dos céus, o amor de Deus, que é  belo, verdadeiro e real, no final  das contas acaba gerando sentimentos de tristezas e desolação.



O amor verdadeiro e a beleza de sentimentos anulam as mentiras de amor seja qual for a ocasião, porque nem sempre os meios justificam os fins.  Amor é amor, amor se paga com amor.  Vamos amar muito mais. O mundo precisa sim de mais amor.

1 Responses to MENTIRAS DE AMOR - João Batista de Paula

  1. MESTRE RILVAN BATISTA DE SANANA, RESTA-ME SO MANIFESTAR MINHA GRATIDÃO POR SUA ATENÇÃO E ACOLHIMENTO AOS MEUS CONTEXTOS. VAMOS BRINDAR O AMOR, O AMOR AMPLO, O AMOR ALTRUISTA, O AMOR DE DEUS, AMOR A HUMANIDADE.
    OBRIGADO E FELIZ FINAL DE ANO.
    ATENCIOSAMENTE,
    JOÃO BATISTA DE PAULA.

     

Postar um comentário

Recomende este blog!!!

Postagens populares

Divulgando Trabalhos Literários (Livros,Contos, Crônicas)

"Divulgando Trabalhos Literários (Livros,Contos, Crônicas e Poesias)"

Minha lista de blogs

bookmark
bookmark
bookmark
bookmark
bookmark

Diário Online

Diário Online
rilvan.santana@yahoo.com.br

Perfil

Perfil
Administrador

Estatística Google (Visualizações)

Google Tradutor

PARCERIAS

Bookess

ABL

R. Letras

DP

Links de livros, crônicas, contos, cartas, etc.

Links de livros, crônicas, contos, cartas, etc.
Tecnologia do Blogger.