Saber-Literário

Diário Literário Online

Sobre desocupados e ocupações - Lourival Pereira Piligra Júnior

Postado por Rilvan Batista de Santana 08/11/16

Lourival Pereira Piligra Júnior









Sobre desocupados e ocupações

1. Nosso país anda mal
Entregue ao Deus dará
Gente doida se ocupando
Com discurso blá, blá, blá,
Porta-vozes do PT
Que se apossam do querer
Desta inocente Nação;
Público vira privado
E quem é desocupado
Inicia a ocupação!

2. A demência toma conta
Do país desgovernado
Substantivo ganha força
Junto a verbo conjugado
E se espalham como um mal
O desespero brutal
De estudantes “sem noção”,
Sem bandeira e “sem partido”
Um bando louco, iludido,
Pela tosca ocupação!

3. A UESC se disfarça
Diz que é ocupada também
Sem saber que apenas faz
Da graduação refém,
Pois a pesquisa não para
Toda extensão dispara
Ao revés da discussão;
E desta forma farsante
Vejo um bando de estudante
Defendendo ocupação!

4. São dois pesos, duas medidas;
Critérios de invertebrados
Ganham ajuda da UESC
Carentes desocupados
Que se alimentam do povo,
Não vejo nada de novo
Nesta tal rebelião,
Gatos pingados sem nome
A contradição consome
Na mentira a ocupação!

5. Tudo para, nada para,
Nas assembleias vazias
Os discursos, sempre os mesmos,
Eivados de hipocrisias,
Fora Temer, nada temo,
Representantes do Demo
Nesta estúpida nação
Que faz o povo pagar
Mais imposto sem lucrar
Com uma vil ocupação!

6. Por que lutam, pobrezinhos?
E por que antes não lutaram?
Quando tudo foi roubado
Todos eles se calaram,
Foram beber no inferninho
Cerveja, cachaça e vinho,
Numa sutil devoção
Ao pobre academicismo
E hoje com todo cinismo
Defendem a ocupação!

7. Nas greves dos professores
Outra farsa combinada
Entre o sindicato espúrio
E o desejo de ser nada;
A pesquisa não parava
Todo mundo enfim clamava
“Não vamos fechar portão”,
Mas, agora, o professor
Um covarde sem valor,
Alimenta a ocupação!

8. Fora Temer, virou mantra,
Na cabeça do imbecil,
Pois esquece que é o povo
Quem paga a conta senil
De quem quer aparecer
Tomar posse do poder
Gerando caos na nação,
Revolucionários cegos
Voltados para os seus egos
Nesta espúria ocupação!

9. Até quando irá durar
Esta farsa desmedida?
Não há pauta, nem proposta,
Atitude descabida
Em nome do dito e feito
Direito usurpa direito
Nesta espúria ocupação,
No final, mais uma vez,
O fato engole o talvez:
Quem perde é a graduação!

10. Os mesmos desocupados
Amanhã irão se opor
Como feras surreais
Contra quem tentar repor
Cada hora de aula perdida,
Corja louca, embrutecida,
Na cegueira da razão;
E a UESC não faz nada
Administração calada
Refém desta ocupação!

11. O governador se cala
Do PT representante,
Nada faz, fica em silêncio,
Assistindo bem distante
Este circo pegar fogo;
Nada é novo neste jogo,
Nada é novo nesta ação;
Falso uso da liberdade
Pobre da Universidade
Refém de uma ocupação!

12. Ninguém toma providência
Todos cúmplices do mal,
Faz de conta encomendado
Pela cegueira brutal;
Iludidos no querer
Reféns de um falso poder
Que cega a população
Que paga e deve pagar
Pelos erros de quem já
Faz da vida ocupação!

13. Eu que tenho o que fazer
Tenho que ficar parado
Pagando imposto sem fim
Pra manter desocupado
Que tem bolsa permanência
Um exemplo de carência
Inimigos da exclusão;
Excludentes sem memória
Vencidos sem honra ou glória
Pela espúria ocupação!

14. O que mais posso dizer
Neste cenário cruel?
Onde a pesquisa tem peso
E a extensão tem papel
Onde a mentira se instala
E no campus só se fala
Da pobre graduação;
Essa sim foi ocupada
Outra vez abandonada
Nesta espúria ocupação!

15. Esses tolos sem vergonha
Dizem tudo nesta ação
Dizem defender a pátria
Por melhor Educação
Sofistas da causa alheia
Farsa que a farsa semeia
Numa ação refém da ação
Estudante, educador,
Ambos perdem seu valor
Nesta espúria ocupação!

16. Já não gostam de ter aula
De enfrentar seu não saber
Escondem-se na mentira
Pois só lutam por poder;
Não se importam com ninguém
Fazem da UESC refém
Numa vil contradição:
Querem ganhar pela luta
E quando a UESC ocupa
Quem perde é a Educação!

17. Privilegiam pesquisa
Nos eventos tiram foto
Sem notar que a formação
Abalada em terremoto
É tratada como puta
Uma infeliz prostituta
A quem todos dão a mão
Pois pesquisa dá dinheiro
Extensão paga cruzeiro
E aula ensina ocupação!

18. Professores maus formados
Se entrincheiram na mentira,
Não conseguem fazer greve,
Mas, na ocupação conspira,
Aproveitam, sorrateiros,
Verdadeiros biscateiros,
Para, dessa encenação,
Barganhar com Zé-ninguém
“Mostrando” que eles também
Fazem sim, a ocupação!

19. O que nos resta, afinal,
Nesta peça, sem roteiro?
Procurar o que fazer
Ou se tornar baderneiro
Na maior cara de pau,
Pois na UESC reina o mau
Como em nossa vil nação
Que aceita muda, calada,
Uma corja organizada
Fazer farsa e ocupação!

20. Tenho pena do futuro
Deste bando de dementes
Desta UESC sem destino
Desta pátria de inocentes
Pois só quero trabalhar
A minha pátria ajudar
Sem ser refém de ilusão
Impedido de ser mais
Um refém de Satanás
Nesta louca ocupação!

0 comentários

Postar um comentário

Recomende este blog!!!

Postagens populares

Machado de Assis, o bruxo das palavras.

ENEM: Os Gêneros Literários

Divulgando Trabalhos Literários (Livros,Contos, Crônicas)

"Divulgando Trabalhos Literários (Livros,Contos, Crônicas e Poesias)"

THE END

bookmark
bookmark
bookmark
bookmark
bookmark

Diário Online

Diário Online
rilvan.santana@yahoo.com.br

Perfil

Perfil
Administrador

Perfis

Perfis
Eglê S. Machado e Antônio Cabral Filho - coadministradores

Estatística Google (Visualizações)

Google Tradutor

Patrono

Patrono
Machado de Assis

PARCERIAS

Bookess

Seguidores

ABL

R. Letras

ALITA

DP

Tecnologia do Blogger.