Saber-Literário

Diário Literário Online

Fico com os dois - Zuenir Ventura

Postado por Rilvan Batista de Santana 02/10/2016

Fico com os dois  - Zuenir Ventura


Verissimo chega aos 80 anos como nosso cronista maior, mas isso não é novidade. O que nem todos sabem é que, como amigo, Luis Fernando é ouro também. Os dois, o escritor e o homem, se dão bem e convivem em harmonia, a não ser quando o segundo briga com o primeiro por passar mais tempo diante do computador do que de um bom prato. Fora os excessos de trabalho e de apetite, ambos são muito econômicos — de palavras e gestos, de fala e escrita. Detestam a grandiloquência e a ênfase, e abominam o decorativo — dos enfeites na linguagem à salsinha no prato, esse “supérfluo verde”. Fizemos juntos muitas viagens, e tão bom quanto viajar com Luis Fernando é ler depois o relato de Verissimo.
 
Dizem que ele é tímido, lacônico e que por isso se refugia no silêncio. Não acho, e ele também não, porque diz: “eu não sou quieto, sou é muito interrompido”. Do que não gosta mesmo é de jogar conversa fora. Sua parcimônia não é por sovinice ou por estilo, mas porque é do seu feitio ficar vendo, ouvindo, prestando atenção para mais tarde devolver tudo em forma de crônicas antológicas, pois percebe o que ninguém percebeu: os detalhes, os pequenos gestos, os acontecimentos menores, as miudezas. Lembra um colega seu, o cronista Machado de Assis, que afirmava: “gosto de catar o mínimo e o escondido”.

Onde parece não haver nada a dizer é que Verissimo se revela mais criativo. Com uma pequena notícia sobre a descoberta de que na verdade o ovo não faz mal à saúde, ele é capaz de construir em 30 linhas uma obra-prima, cobrando indenização pelo tempo que foi proibido de comer claras e gemas. Sua genialidade não se contenta apenas com o que observa; ele recria e inventa. Muito do que se encontra de mais divertido na comédia de nossa vida pública e privada foi inventado por ele, ou poderia ter sido. É comum, diante de uma cena real do dia a dia, a gente dizer: “isso é coisa do Verissimo”. O que recolhe do cotidiano devolve enriquecido. Está para nascer quem conheça mais a fundo os mistérios do ser urbano — suas zonas de sombra, seus recônditos, infidelidades, hipocrisias, mentiras, alegrias, grandezas e pequenas patifarias.

Tudo em Verissimo — a emoção, o lirismo, o drama e até a erudição de quem leu, viu, ouviu e assistiu do bom e do melhor — é contido e temperado pela autoironia e por um humor sem rancor, fino, generoso e irresistível. Trata-se de um caso raro de humorista que pode ser ao mesmo tempo engraçado e sério, leve e profundo. Insuperável criador de situações e de tipos — Ed Mort, O analista de Bagé, Dora Avante, As cobras, A velhinha de Taubaté — ele é também uma adorável criatura.

Por isso é que, entre Verissimo e Luis Fernando, fico com os dois.


O Globo / ABL

0 comentários

Postar um comentário

Recomende este blog!!!

Postagens populares

Divulgando Trabalhos Literários (Livros,Contos, Crônicas)

"Divulgando Trabalhos Literários (Livros,Contos, Crônicas e Poesias)"

Minha lista de blogs

bookmark
bookmark
bookmark
bookmark
bookmark

Diário Online

Diário Online
rilvan.santana@yahoo.com.br

Perfil

Perfil
Administrador

Perfil

Perfil
Antônio Cabral Filho - Escritor e coadministradores

Estatística Google (Visualizações)

Google Tradutor

Patrono

Patrono
Machado de Assis

PARCERIAS

Bookess

ABL

R. Letras

DP

Links de livros, crônicas, contos, cartas, etc.

Links de livros, crônicas, contos, cartas, etc.
Tecnologia do Blogger.