Saber-Literário

Diário Literário Online

QUANDO O SEU AMOR MUTILA SEUS PRÓPRIOS FILHOS - Zeiss Lacerda

Postado por Rilvan Batista de Santana 23/09/16

QUANDO O SEU AMOR MUTILA SEUS PRÓPRIOS FILHOS
publicado em recortes por Zeiss Lacerda

Elogiar desmerecidamente cria falsas expectativas, protecionismo exagerado deixa seu filho mais vulnerável, repreensões constantes a uma criança matam sua autoestima.

Calçar sapatos corretamente não é nenhum talento, não minta para seu filho; Aprender a dizer "obrigado" não é nenhuma genialidade, nem é boa educação. É gratidão; Fazer a cama depois de acordar não é nenhum castigo. Se teu filho já tem idade, é claro que pode fazer sua própria cama; Dizer "desculpa" não é pedir perdão. Perdão não vem das palavras. As palavras apenas servem para transmitir o arrependimento que vem do coração. É isso que a criança deve aprender para não virar aquele adulto que diz: "eu já te pedi desculpas, não farei mais do que isso...".

Dramaticamente me arrisco a escrever sobre uma matéria deveras sensível e pouco consensual. Estou longe de ser um pai exemplar, confesso. Mas tenho excelentes pais, orgulho-me. O engraçado é que cresci pensando que eles poderiam ter sido melhores: eu queria ter tido mesada, festas de aniversário com muitos amiguinhos, ser servido por muitos empregados. Queria escolher o que comer, queria vestir as melhores peças de roupa, queria ser tratado como um príncipe ou mesmo como um Rei. Mas a minha família não é uma Realeza. Minha mãe não é uma rainha, tampouco meu pai um rei. Eles são os meus maiores ídolos mas infelizmente nenhum deles é de facto a Rainha da Inglaterra ou o Rei da Suazilândia. Então eu não poderia ser um príncipe, isso é um facto. A minha vida não poderia ser igual a de um príncipe, mesmo doendo. Os meus pais são tudo para mim porque sempre me mostraram o lado verdadeiro da vida. Nunca tive uma vida melhor que a dos meus pais enquanto dependente deles. Tive sim uma vida igual às possibilidades deles. Assisti a cada luta deles para termos uma vida digna. Nunca lutaram por uma vida falsamente maravilhosa. Tive uma vida digna e verdadeira. Nunca me tentaram assemelhar a um personagem dos encantadores filmes de desenhos animados.

E então me deparo na fase adulta com uma geração de reis, rainhas e princesas. Não nasceram em nenhuma monarquia mas nasceram Reis. Os pais fazem deles pequenos Deuses e mais alguma coisa. É maravilhoso dar de tudo, até o impossível para ver seu filho crescer alegre e saudável. É bom ter um filho Rei mas melhor mesmo é esquecer a realeza e ser realista.

A vida tem altos e baixos. Ela é feita de lutas, perdas, ganhos, frustrações, medo, ameaças, dor, alegria, decepções, bonança, carência e tantas outras coisas boas e ruins. O que você tem hoje como pai é fruto das suas lutas ou se calhar de mera sorte, se tiver herdado. Mas mesmo que tenha herdado, só conseguiu manter porque foi preparado para gerir e fazer crescer essa herança. Faça o mesmo com o seu filho, prepare-o para a vida, seja ela de herdeiro ou de lutador. Educar bem ao filho jamais será expor-lhe à apenas o lado belo da vida.

Mesada só quando entrei para universidade. Muitas crianças tinham já no ensino primário mas nem todos os pais têm as mesmas possibilidades. Tive que aprender a não me comparar a ninguém senão à mim mesmo. Fez sim muita falta, porque acho a mesada uma ferramenta óptima para preparar a criança desde cedo a lidar com dinheiro. Mas algumas crianças com este benefício também tornam-se péssimas gestoras. Suponho que os pais tenham culpa.

Há pais por exemplo, que fazem reforços constantes a mesada, ou seja, o filho recebe uma quantia no início do mês para seus gastos ao longo dos 30 dias seguintes mas ele, estoura o dinheiro na primeira semana e vai chorar ao pai. Este, porque não quer ver o filho sofrer, dá um reforço. Excelente, enquanto seu dependente, excelente. Mas preste atenção: quando essa criança virar adulta e começar a trabalhar e receber seu próprio salário, provavelmente vai também estourar todo o dinheiro na primeira semana. Não conseguirá pagar suas despesas mensais e sempre acreditará que terá um reforço. Mas a vida não lhe vai dar um reforço. A vida vai lhe dar um treino duro. Quantos jovens assalariados tem uma vida de estrelas na semana do salário e parecem coitados nos restantes dias?
Dar mesada e fazer reforços desnecessários é igual a não dar nada: a criança nunca aprende a administrar seu dinheiro e fica sempre precisando. Porquê não dar o treino agora? Dê mesada a seus filhos, por mais pequena que seja. Monitore a gestão. "Acabou a mesada? Senta aqui filho, deverias ter feito assim..., agora espere pela mesada do mês que vem".

Quando a equipe do teu filho perde na escola, não diga que o árbitro foi injusto, diga que ele e os amiguinhos precisam treinar mais para jogarem melhor que a outra equipe. Quando seu filho pedir uma bicicleta e não tiveres como comprar, não se endivide, ganhe coragem e diga que não tem dinheiro e não faça promessas falsas. No dia que poderes ofereça a bicicleta e explica para ele que foi difícil conseguir e que ele deve cuidar muito bem. Assim seu filho aprende que nem sempre pode ter o que quer e, quando tiver, deve valorizar.

Não elogie seu filho por coisas que não sejam excepcionais, porque senão lhe darás a falsa impressão de que ele já está no auge e que merece ser premiado por tudo o que fizer. Aprender a escrever o próprio nome não é ser génio, é simplesmente aprender a escrever. Merece algo como "...isso filho, assim é que é. Parabéns" e não "filho tu és um génio". Ele pode até ser, mas não porque aprendeu a escrever o próprio nome. Se teu filho se julgar genial por saber escrever, não saberá lidar com o colega de trabalho que não precisa escrever porque tem uma memória que regista tudo. Porquê? Porque você criou um filho "eu me acho". Ninguém pode ser melhor que ele e logicamente não conhece seu diferencial e não tem como competir.

Quando a Clarisse ajudá-lo a levar a mala ao carro, não precisa de elogio, precisa de um "obrigado filha". Elogios mal aplicados são prejudiciais. Elogios desmerecidos são a gênese dessa geração de adultos "infantilizados", mimados, inconsequentes, incapazes da autocrítica, que não sabem perder, que pensam que tudo lhes pertence e não acreditam que podem ser melhores do que são. Elogie sim, mas não exagere. Imagine seu filho entregue lá ao futuro, sem ti. Você deu as ferramentas que ele precisa para sair-se bem depois do desmame? Entregar o relatório na data certa não dá direito a elogio e isso pode frustra-lo no trabalho.

Protecionismo exagerado é outro elemento mutilador. O filho ouve a mãe dizer: "meu rei, meu príncipe, eu não deixarei que ninguém te faça mal nessa vida". Realmente, nenhuma mãe deixaria que fizessem mal a seu filho. Mas será que ele precisa ouvir isso? Isso lhe torna mais forte ou mais dependente da tua força? O filho tem que aprender desde cedo a defender-se sozinho, porque na vida terá que lutar e quem luta, infelizmente tem que saber defender-se. E aqueles pais que dizem aos filhos, geralmente mães às filhas: "se teu casamento não der certo, teu quarto continua arrumadinho e pronto para te receber, tudo estará como deixaste...". Excelente instinto maternal mas ao mesmo tempo uma bomba relógio activada. Sua filha precisa formar uma família e deixar de ser essa menina mimada que aos 30 anos ainda anda de calções curtos procriando na casa dos pais. Relacionamentos sempre têm problemas, muitos problemas. Se tua filha souber que tem um quarto à espera não vai nunca lutar para consertar seu relacionamento e criar uma família. Porquê sofrer se pode viver chupando os dedos da mãe juntamente com a prole? Qual é o filho que não sabe que os pais estarão sempre de braços abertos? Então porquê dizer isso aos filhos?

Do mesmo modo que os elogios e protecionismo exagerados, as repreensões também são bastante prejudiciais quando mal aplicadas. Filho que demora a aprender seu próprio nome não é burro. Não lhe chame de burro porque se ele acreditar nisso nunca se sentirá seguro ao lado das outras pessoas. Filho que não marca golos no futebol não é pulha, não diga isso nunca a ele. Ele pode simplesmente estar a precisar de mais treino ou o futebol não é o desporto para ele, tente dança ou ciclismo. E um segredo, filho nunca é feio, cabeçudo ou magrelo. Filho é sempre bonito, nisso nunca poupe elogios, em momento algum. Repreensões exageradas ferem a autoestima. Não existe nada que faça tão mal ao próprio ser que a falta de autoestima. Gente sem autoestima quer desaparecer, quer viver num submundo, se acha nada e isso é péssimo. Gente sem autoestima não acredita que alguém lhes possa amar de verdade, que alguém lhes possa apreciar. Gente sem autoestima não acredita na fidelidade. Gente sem autoestima não se acha merecedora de nada bom. Gente sem autoestima acredita que nasceu pura e simplesmente para sofrer e passar humilhações. Quer seu filho nessa posição?

Enfim, um pai tem que ser competente, ser exigente o suficiente, impor regras e limites que devem ser respeitados pelos filhos, mas deve ao mesmo tempo saber ler e dar ouvidos as necessidades das crianças, ser razoável e flexível e sempre que necessário saber ceder.

Mas o que são as regras para educar filhos, comparadas ao amor que nos guia? O amor pode tudo, inclusivamente nos dar sabedoria para termos filhos futuros homens e mulheres que segurem com responsabilidade este planeta que precisa cada dia mais da nossa inteligência.


ZEISS LACERDA
Sou seiva de Moçambique, Mestrado em agricultura, docente universitário apaixonado pela academia e viciado pela escrita e pela moda. Gosto de olhares sem pressa e toques suaves. Fragmento meu dia entre cafés com pinceladas de açúcar. Alimento-me de música, invento momentos de solidão mas não me imagino sozinho. Sentimentos? Só se me causarem sensações. The Evidence.

Fonte: obvious: http://obviousmag.org/evidence/2016/quando-o-seu-amor-mutila-seus-proprios-filhos.html


0 comentários

Postar um comentário

Recomende este blog!!!

Postagens populares

Machado de Assis, o bruxo das palavras.

ENEM: Os Gêneros Literários

Divulgando Trabalhos Literários (Livros,Contos, Crônicas)

"Divulgando Trabalhos Literários (Livros,Contos, Crônicas e Poesias)"

THE END

bookmark
bookmark
bookmark
bookmark
bookmark

Diário Online

Diário Online
rilvan.santana@yahoo.com.br

Perfil

Perfil
Administrador

Perfis

Perfis
Eglê S. Machado e Antônio Cabral Filho - coadministradores

Estatística Google (Visualizações)

Google Tradutor

Patrono

Patrono
Machado de Assis

PARCERIAS

Bookess

Seguidores

ABL

R. Letras

ALITA

DP

Tecnologia do Blogger.