Saber-Literário

Diário Literário Online

DE POETINHA, ELE SÓ TINHA O NOME
publicado em literatura por Pamela Camocardi

No currículo formações acadêmicas invejáveis: diplomata, advogado e bacharel em Língua e Literatura Inglesa. De coração, boêmio, poeta, compositor e cronista. Esse era Vinícius de Moraes, um poeta que preferiu viver intensamente seus dias e transportar para o papel o que tinha de mais nobre no currículo: suas intensas formas de amar.

Caso haja outro escritor que tenha falado de amor com tanta propriedade e conhecimento, desconheço. Verdade seja dita, Vinícius de Moraes tinha o dom de transformar em poesia o que poucos conseguem definir. Romântico assumido vivia intensamente seus amores e acreditava que todos deveriam ser eternos enquanto durassem.


Otimista nato, Vinícius tinha três pilares para compor: a vida, o amor e os amigos em seus poemas. A vida, para o poeta, era sempre bela e curta: (...)"É claro que a vida é boa... E a alegria, a única indizível emoção...". Os amigos, a maior preciosidade de um homem: “O amigo: um ser que a vida não explica/ Que só se vai ao ver outro nascer/ E o espelho de minha alma multiplica”(soneto do amigo). E, por fim o amor, tantas vezes vivido, e das mais diversas formas: “Amai, porque nada melhor para a saúde que um amor correspondido.”

Enfatizava que o amor acontecia de repente, e que não vivê-lo era o mesmo que desperdiçar uma oportunidade em ser feliz. No poema "Deixa acontecer", o poeta deixa isso claro: "Ah, não tente explicar/Nem se desculpar/Nem tente esconder/ Se vem do coração/ Não tem jeito, não/ Deixa acontecer (...)"

Alguns o conhecem somente pelos sonetos, outros somente pelas músicas e, ambos, limitam-se a grandiosidade do poeta. Um mestre com as letras, um compositor único e um homem extremamente inteligente, o poeta merece ser conhecido pela complexidade (e totalidade) de sua obra. Participou do movimento Bossa Nova e junto com grandes compositores como Tom Jobim, Baden Powell, João Gilberto, Chico Buarque e Carlos Lyra, eternizou músicas e histórias de uma geração única. Com Tom, compôs um dos maiores sucessos da MPB, "Garota de Ipanema" e fez dela o cartão de visitas do Rio de Janeiro e do Brasil no exterior. Infelizmente, o dia 09 de julho de 1980 acordou triste. Partiria o “poetinha”, aos 67 anos, devido a problemas decorrentes de uma isquemia cerebral. Não deixou seus fãs órfãos, já que suas obras suprem um pouco da ausência. Mas, esqueceu que a saudade é um sentimento bonito somente nos versos.



PAMELA CAMOCARDI
Professora, palestrante e teimosa. Criadora do site ¨Entrelinhas Literárias¨, tem a péssima mania de transformar em textos, palavras que não deveriam ser ditas..

Fonte:

 obvious: http://obviousmag.org/conversa_literaria/2016/de-poetinha-ele-so-tinha-o-nome.html

0 comentários

Postar um comentário

Postagens populares

Divulgando Trabalhos Literários (Livros,Contos, Crônicas)

"Divulgando Trabalhos Literários (Livros,Contos, Crônicas e Poesias)"

Minha lista de blogs

bookmark
bookmark
bookmark
bookmark
bookmark

Diário Online

Diário Online
rilvan.santana@yahoo.com.br

Perfil

Perfil
Administrador

Patrono

Patrono

Estatística Google (Visualizações)

Google Tradutor

PARCERIAS

Bookess

ABL

R. Letras

DP

Links de livros, crônicas, contos, cartas, etc.

Links de livros, crônicas, contos, cartas, etc.
Todos os nossos textos, abaixo, estão licenciados no Creatve Commons.
Tecnologia do Blogger.