Saber-Literário

Diário Literário Online

A VOZ FEMININA NA MPB - JANINE NOGUEIRA

Postado por Rilvan Batista de Santana 16/09/2016

A VOZ FEMININA NA MPB

publicado em musica por Janine Nogueira

Cássia, Clara, Elis, Gal, Marisa, Maysa, Zizi... tantas outras, tantas vozes que representam uma cultura, que cantam o sentimento e a vida, que se eternizam entre versos sinceros e subjetivos. A música popular brasileira é uma mulher com alter egos.


A Gal Costa -Via Pinterest.

O populismo da música brasileira tem uma voz aguda que se sobressai. E ela vem da personalidade forte, do pensamento inquieto e de uma postura despadronizada.

As gerações de cantoras, que desde Chiquinha Gonzaga, Carmem Miranda e Dolores Duran, quebram os protocolos sociais, enfrentam o sexismo (que existe mesmo nessa área de "mentes abertas") e refletem a liberdade que muitas ainda não se propuseram por receio dos estereótipos, também agregam um conteúdo de nível à arte e à cultura.

Às vezes parece que determinada música só se conceitua por uma voz feminina, pois é uma conexão do tom com a palavra que traz uma sensação etérea quando ecoa. Diz-se que o vocabulário e a entonação de uma mulher é naturalmente suave e mais articulada. A sonância de um verso precisa de uma representação fiel do que é dito, e essas características sensibilizam esse estilo musical.

São tantas as cantoras admiráveis na MPB, são tantas épocas e experiências que constroem essa arte, são tantas características que se singularizam e chamam a atenção. Quem nunca quis ter o olhar de Maysa? Ou o floreio da Elis? A despretensão da Cássia? A calma da Marisa? A sensibilidade da Gadú? A simplicidade da Takai? A presença de palco da Carmem? Uma história forte como a de Chiquinha Gonzaga?

Diferente das belas artes e das belas letras, a música brasileira não conceituou apenas homens - que não são subestimáveis -; entretanto, ainda critica a si própria, às vezes oscila na sua proposição e está perdendo espaço. São poucas as novas cantoras de MPB e são reconhecidas por aqueles que são abertos ao novo, que são poucos. Há uma negação sobre a nova geração, que chega a ser um desprezo. É uma descrença de que elas podem revolucionar como as antecessoras e ao mesmo tempo representar a sua época.

Que as que vêm bebam da água das que estão e das que foram, mas que sejam elas mesmas e não se percam da forte essência feminina. Um conceito se faz com atitudes e ainda há muito o que construir. A tecnologia pode favorecer ao novo e resgatar o antigo. Que exista a sororidade através das gerações, para esvair todos os preconceitos. Ainda há amarras a serem cortadas e muitos gritos a serem musicalizados.



JANINE NOGUEIRA
Escrevedora, conceitual e coexistente..


Fonte: obvious: http://obviousmag.org/rapsodias/2016/a-voz-feminina-na-mpb.html

0 comentários

Postar um comentário

Recomende este blog!!!

Postagens populares

Divulgando Trabalhos Literários (Livros,Contos, Crônicas)

"Divulgando Trabalhos Literários (Livros,Contos, Crônicas e Poesias)"

Minha lista de blogs

bookmark
bookmark
bookmark
bookmark
bookmark

Diário Online

Diário Online
rilvan.santana@yahoo.com.br

Perfil

Perfil
Administrador

Estatística Google (Visualizações)

Google Tradutor

PARCERIAS

Bookess

ABL

R. Letras

DP

Links de livros, crônicas, contos, cartas, etc.

Links de livros, crônicas, contos, cartas, etc.
Tecnologia do Blogger.