Saber-Literário

Diário Literário Online

MEU QUERIDO ANTI-HERÓI - Tatiana Sousa (*)

Postado por Rilvan Batista de Santana 05/03/2016

MEU QUERIDO ANTI-HERÓI

Por Tatiana Sousa
“A ficção para ser purificadora precisa ser atroz.
O personagem é vil para que não o sejamos.
Ele realiza a miséria inconfessa de todos nós”.
Nelson Rodrigues

 A eterna (e clichê) disputa entre o bem e o mal exibida na ficção denuncia em nós algo de extrema profundidade e complexidade. Desde muito cedo ouvimos contos de princesas, bruxas, heróis e vilões. O que todas essas antigas narrativas tem em comum é a vitória do mocinho (bem) e a derrota do vilão (mal). O final é praticamente o mesmo: felizes para sempre.
Crescemos e eis o conflito: Na ficção "para adultos" o herói mocinho continua incorruptível, quase que sem defeitos, muito distante da realidade conflituosa dos seres humanos falhos. É aí que vemos a figura do anti-herói em constante ascensão nas obras ficcionais. E cada vez mais, os roteiristas e escritores estruturam esses personagens em cima da dualidade humana e através de circunstâncias cotidianamente possíveis. Seus aspectos cruéis e obscuros apresentados nos livros, filmes, seriados e novelas já não horroriza mais.
Mas afinal, o que no anti-herói tanto seduz ?
A identificação acontece das mais variadas formas, mas vamos nos atentar a partir de uma perspectiva do inconsciente. A psicanálise diz o seguinte: O nosso aparelho psíquico é constituído por impulsos sexuais e agressivos que demandam satisfação a qualquer custo. Esses desejos socialmente repudiados, tornam-se inconscientes, recalcados pelas nossas defesas psíquicas. Só que apesar de inconscientes, eles ainda exercem constante pressão no psiquismo e indiretamente acabam encontrando as mais variadas vias de realização.
O anti-herói é a personificação da face obscura da subjetividade existente em todos os seres humanos. Pensemos numa válvula de escape que, de maneira camuflada, possibilita a descarga de todos aqueles impulsos agressivos e sexuais que estão inconscientes. Essa satisfação do desejo reprimido possibilitada pelo personagem é prazerosa. E o mais interessante: é admitida pela sociedade já que por ser uma obra de ficção não há consequência direta ou real a ninguém. São os tão queridos e sedutores personagens que quebram as regras pelos telespectadores. Daí o fascínio.
Uma das inúmeras facetas na ambiguidade desses personagens é que não existe somente maldade na vilania. Esses transgressores de valores da ficção muitas vezes se vêem afogados nos próprios conflitos da vida cotidiana: dramas domésticos, educação dos filhos, decisões erradas, impulsividade e arrependimento, rejeição, problemas financeiros, fracasso profissional, ou seja, tudo aquilo que pode ser enfrentado diariamente pelo sujeito comum. E acrescente a tudo isso uma das maiores perspicácias dos roteiristas na construção dos personagens: uma boa dose de charme, elegância ou inteligência.
Walter White, Tony Soprano, Frank Underwood, Dr. House, Dexter, Don Draper, Damon Salvatore, Gordon Gekko, Michael Corleone, Klaus Mikaelson, Travis Bickle, Jax Teller, Sarah Connor, Alex DeLarge, Magneto, Tyler Durden, Hannibal Lecter, Raymond Reddington, personagens trapaceiros, traficantes, ladrões, assassinos, moralmente questionáveis e de caráter duvidoso. Que bom que eles existem. É graças a eles que, com um certo alívio, é possível dizer: Não é minha essa maldade, é dele.

Fonte:
http://obviousmag.org/entre_o_silencio_e_a_escuta/2016/meu-querido-anti-heroi

Psicóloga (*)





0 comentários

Postar um comentário

Postagens populares

Divulgando Trabalhos Literários (Livros,Contos, Crônicas)

"Divulgando Trabalhos Literários (Livros,Contos, Crônicas e Poesias)"

Minha lista de blogs

bookmark
bookmark
bookmark
bookmark
bookmark

Diário Online

Diário Online
rilvan.santana@yahoo.com.br

Perfil

Perfil
Administrador

Patrono

Patrono

Estatística Google (Visualizações)

Google Tradutor

PARCERIAS

Bookess

ABL

R. Letras

DP

Links de livros, crônicas, contos, cartas, etc.

Links de livros, crônicas, contos, cartas, etc.
Todos os nossos textos, abaixo, estão licenciados no Creatve Commons.
Tecnologia do Blogger.