Saber-Literário

Diário Literário Online

Paris-je-taime Zuenir Ventura

Postado por Rilvan Batista de Santana 20/11/2015

Paris-je-taime
Zuenir Ventura
Foram precisos apenas oito fanáticos para infernizar a capital da cultura, da liberdade e do amor — a cidade dos românticos, dos cafés, dos museus
Mesmo à distância, não há como não sofrer por uma cidade que, quando não é a primeira, é a segunda mais querida de todo mundo que a conhece. Triste, indignada e com medo, Paris, dizem os correspondentes, procura se reerguer, ainda chorando os 129 mortos do maior atentado que sofreu, enquanto o governo se prepara para a guerra — “um novo tipo de guerra”, segundo o presidente François Hollande, e que para outros já seria a Terceira Guerra Mundial. Se for, é um conflito em que o inimigo sabe que não pode ganhar, mas pode aterrorizar com fanáticos que cultivam o martírio e o suicídio, e acreditam que há no paraíso 72 virgens à espera de cada um deles. O massacre evidenciou a mudança de motivação dos extremistas. Em lugar dos ataques a símbolos do poder político e econômico, como os da al-Qaeda no 11 de setembro, os bárbaros do Estado Islâmico se voltaram contra os valores republicanos e o estilo de vida que classificam como “prostituição e obscenidade”, escolhendo como alvo ambientes de entretenimento e prazer, como restaurantes e casas de espetáculo. Foram precisos apenas oito fanáticos para infernizar a capital da cultura, da liberdade e do amor — a Paris dos românticos, dos cafés, dos museus, das quatro estações cantadas por Cole Porter, da Piaf, da “geração perdida” americana, a Paris que Hemingway descreveu como uma festa.
Como explicar o fascínio que exerce uma organização tão tenebrosa sobre jovens aliciados em países democráticos? A França calcula que mais de mil dos seus já se alistaram para matar e morrer. Há várias hipóteses, como as causas sociais, já que o aliciamento é feito de preferência na periferia pobre das grandes cidades. Mas fala-se também em busca de identidade, citando o exemplo do jihadista John, britânico, conhecido pelos vídeos em que aparecia na internet cortando cabeças e queimando vivos os prisioneiros. Eles também querem fama aqui ou junto às virgens. Aliás, uma das novidades é o papel que exercem as redes sociais no recrutamento e na propaganda da organização: quanto mais crueldades exibem, mais adeptos conseguem. Há pouco foi postada a foto do mais novo homem-bomba dos jihadistas, um inglês de 17 anos. Disfarçada, uma jornalista francesa infiltrou-se no meio desses candidatos a mártires e viu como é a doce vida deles enquanto ainda estão “desativados”. Usufruem do bom e do melhor à disposição no Ocidente que querem destruir. A organização é rica. Como se sabe, os jihadistas controlam faixas de território sírio e iraquiano farto em petróleo, o que renderia cerca de 1,5 milhão de dólares por dia.
Esta semana, a coligação comandada pelos EUA destruiu mais de cem caminhões-tanque na Síria. Parece que descobriu, enfim, que a solução contra essa guerra talvez seja econômica, mais do que bélica.

O Globo, 18/11/2015

0 comentários

Postar um comentário

Postagens populares

Divulgando Trabalhos Literários (Livros,Contos, Crônicas)

"Divulgando Trabalhos Literários (Livros,Contos, Crônicas e Poesias)"

Minha lista de blogs

bookmark
bookmark
bookmark
bookmark
bookmark

Diário Online

Diário Online
rilvan.santana@yahoo.com.br

Perfil

Perfil
Administrador

Patrono

Patrono

Estatística Google (Visualizações)

Google Tradutor

PARCERIAS

Bookess

ABL

R. Letras

DP

Links de livros, crônicas, contos, cartas, etc.

Links de livros, crônicas, contos, cartas, etc.
Todos os nossos textos, abaixo, estão licenciados no Creatve Commons.
Tecnologia do Blogger.