Saber-Literário

Diário Literário Online

Gravação mostra atuação de grupo suspeito de fraude na Bahia

Postado por Rilvan Batista de Santana 17/11/2015

Gravação mostra atuação de grupo suspeito de fraude na Bahia

Investigados são alvos da Operação Aleteia deflagrada na BA e em SP. Dois foram presos em Salvador; cinco dos nove suspeitos são procurados.

Do G1 BA
A gravação de áudio liberada pelo juiz André Dantas Vieira mostra uma conversa entre os suspeitos de participar de um esquema que fraudava a arrecadação de impostos do estado da Bahia e abria concorrência desleal em licitações públicas. Eles são investigados na Operação Aleteia, que no fim de semana prendeu quatro pessoas em Salvador e São Paulo.
Os investigadores já monitoravam e gravaram as conversas entre os suspeitos. Segundo a polícia, o grupo criava empresas para participar de licitações para o fornecimento de material escolar e de escritório e medicamentos. Os áudios mostram que além de combinar preços para participar de licitações, os suspeitos tentaram subornar funcionários públicos.
  • Operação investiga fraudes fiscais na Bahia; dois são presos em Salvador
Em uma conversa entre Bruno Matos, que está foragido e Rafael Prado eles mostram que estão dispostos a pagar alto para conseguir vencer uma licitação do Programa Todos Pela Educação. "Um cara desse, se quiser, eu pego Ferrari, pego um Duster, deixo na garagem dele com DUT assinado, na garagem dele", disse Bruno.
Em outra conversa, Rafael avisa a Marcos (irmão de Bruno), que também está foragido, que teriam vencido uma licitação em São Francisco do Conde e combinam o valor da propina que seria paga à comissão de licitação. "Bruno me ligou. Querendo dizer que a prefeitura de São Francisco do Conde vai ficar com a gente. Rapaz, ele falou: 'Venha cá, Cabelo! Pode dar quanto pra 'essa' pessoa? Eu falei: 'rapaz pode dar 20%'", disse Rafael.
A polícia ainda está à procura de cinco dos nove suspeitos de participar do esquema de fraude. Na capital baiana, foram cumpridos 26 mandados de busca e apreensão, além das duas prisões, a do empresário César Matos e a de Maria de Fátima Andrade Silva. Outras duas pessoas já tinham sido presas, em São Paulo: o casal Rafael Prado Cardoso e Ariani Nasi.
Os quatro suspeitos presos foram ouvidos e transferidos para o presídio Salvador. Os advogados de defesa não foram localizados para ouvir a versão dos suspeitos sobre as investigações.
Segundo a Secretaria Estadual de Educação (SEC), o grupo suspeito de fraude venceu uma concorrência do programa Tudo Pela Educação em 2008 e chegou a pagar pelo material. Mas quando recebeu o material escolar, percebeu que não estava em conformidade com o que deveria ser entregue. Com isso, a secretaria abriu um processo na Justiça para devolver o material que, até hoje está num depósito da secretaria, e receber o dinheiro de volta.
A prefeitura de São Francisco do Conde não se posicionou sobre o caso. A Polícia Civil disse que não há indicação de nenhum funcionário público envolvido nas fraudes.

















Operação Aleteia desmonta esquema de fraude

fiscal e de concorrência desleal em licitações na
Bahia (Foto: Divulgação/ Sefaz)

O caso

A operação Aleteia reuniu o Grupo de Atuação Especial de Combate à Sonegação Fiscal e aos Crimes Contra a Ordem Tributária e Econômica (Gaesf), do Ministério Público, a área de inteligência da Secretaria da Fazenda do Estado (Sefaz-Ba) e a Polícia Civil, através do Departamento de repressão ao Crime Organizado (Draco).

As empresas investigadas são suspeitas de cometer diversas irregularidades, como a inserção de declarações falsas nas informações econômico-fiscais, em que eram omitidas aquisições de mercadorias tributadas, e a utilização de sócios "laranjas", com o objetivo de ocultar operações tributáveis e de obter isenção de responsabilidade penal e tributária pelo não recolhimento do Imposto Sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS).
A estimativa da Sefaz é de que prejuízo causado pelas fraudes fiscais seja de R$ 4,5 milhões. A investigação também aponta que, com práticas fraudulentas, a organização criminosa desestabilizava o mercado por meio de concorrência desleal, praticando preços muito inferiores ao mercado e permitindo aos integrantes do esquema a acumulação de patrimônio de forma irregular.
O Ministério Público solicitou à Justiça o bloqueio dos bens e das contas bancárias dos investigados. As investigações também contaram com a participação da Coordenadoria de Segurança e Inteligência Institucional (CSI) do Ministério Público da Bahia e o apoio da Polícia Civil de São Paulo.



0 comentários

Postar um comentário

Recomende este blog!!!

Postagens populares

Divulgando Trabalhos Literários (Livros,Contos, Crônicas)

"Divulgando Trabalhos Literários (Livros,Contos, Crônicas e Poesias)"

Minha lista de blogs

THE END

bookmark
bookmark
bookmark
bookmark
bookmark

Diário Online

Diário Online
rilvan.santana@yahoo.com.br

Perfil

Perfil
Administrador

Perfil

Perfil
Antônio Cabral Filho - Escritor e coadministradores

Estatística Google (Visualizações)

Google Tradutor

Patrono

Patrono
Machado de Assis

PARCERIAS

Bookess

ABL

R. Letras

DP

Tecnologia do Blogger.