Saber-Literário

Diário Literário Online

Jesus alimenta uma multidão Mt 14,13-21

Postado por Rilvan Batista de Santana 03/08/2015

Jesus  alimenta uma multidão
Mt 14,13-21
 
Ao saber o que havia acontecido, Jesus saiu dali num barco e foi sozinho para um lugar deserto. Mas as multidões souberam onde ele estava, vieram dos seus povoados e o seguiram por terra. Quando Jesus saiu do barco e viu aquela grande multidão, ficou com muita pena deles e curou os doentes que estavam ali. 
De tardinha, os discípulos chegaram perto de Jesus e disseram: 
- Já é tarde, e este lugar é deserto. Mande essa gente embora, a fim de que vão aos povoados e comprem alguma coisa para comer. 
Mas Jesus respondeu: 
- Eles não precisam ir embora. Dêem vocês mesmos comida a eles. 
Eles disseram: 
- Só temos aqui cinco pães e dois peixes. 
- Pois tragam para mim! - disse Jesus. 
Então mandou o povo sentar-se na grama. Depois pegou os cinco pães e os dois peixes, olhou para o céu e deu graças a Deus. Partiu os pães, entregou-os aos discípulos, e estes distribuíram ao povo. Todos comeram e ficaram satisfeitos, e os discípulos ainda recolheram doze cestos cheios dos pedaços que sobraram. Os que comeram foram mais ou menos cinco mil homens, sem contar as mulheres e as crianças.
 
Comentário do EvangelhoVerdadeiro banquete da vida
 
Este episódio do pão partilhado entre Jesus, seus discípulos e as multidões, é narrado pelos quatro evangelistas. Mateus, seguindo Marcos, narra este episódio em seguida à narrativa do banquete de herodes (cf. 31 jul.), e em contraposição a ele. Em torno de herodes reuniram-se as elites do poder, em um banquete de aniversário. O desfecho do que seria uma comemoração da vida revela a verdadeira identidade dos celebrantes: é uma festa de morte, que termina com a cabeça de João Batista servida em uma bandeja. Por outro lado, longe das elites da cidade, em meio rural popular, Jesus reúne multidões e partilha com elas pães e peixes, saciando a todos. Este é o verdadeiro banquete da vida, o banquete da partilha que eleva os excluídos e os integra no Reino de Deus.
 
Oração

Pai, abre meu coração para a solidariedade, a fim de que, diante de meu semelhante necessitado eu sinta a alegria de partilhar com ele o que me deste. 


Fonte:www.paulinas.org.br 
 

0 comentários

Postar um comentário

Recomende este blog!!!

Postagens populares

Divulgando Trabalhos Literários (Livros,Contos, Crônicas)

"Divulgando Trabalhos Literários (Livros,Contos, Crônicas e Poesias)"

THE END

bookmark
bookmark
bookmark
bookmark
bookmark

Diário Online

Diário Online
rilvan.santana@yahoo.com.br

Perfil

Perfil
Administrador

Perfil

Perfil
Antônio Cabral Filho - Escritor e coadministradores

Estatística Google (Visualizações)

Google Tradutor

Patrono

Patrono
Machado de Assis

PARCERIAS

Bookess

ABL

R. Letras

ALITA

DP

Tecnologia do Blogger.