Saber-Literário

Diário Literário Online

RASGARAM AS OBRAS PRIMAS - Carlos Eduardo Passos

Postado por Rilvan Batista de Santana 26/07/2015

Carlos Eduardo Passos

RASGARAM AS OBRAS PRIMAS!



O Brasil, país gigante pela própria natureza, entrega-se sofregamente a uma faina bizarra: desfigurar romances, contos e novelas de seus autores maiores. Tais obras primas, caídas na rubrica do domínio público, sofreram o redesenho compatível aos ventos da pós-modernidade, sob o pretexto de se tornarem compreensíveis aos leitores hodiernos.
A sanha destruidora tem o patrocínio do Governo Federal. Por isso mesmo pululam em progressão geométrica novos engenheiros da forma e conteúdo estético-literários.
Sem nenhuma sombra de dúvida realçam tais feitos a ausência de maturidade cognitiva daqueles que vivem aprisionados nas teias do mais lídimo surrealismo.
O redesenho encetado não proporciona melhor entendimento das nossas obras primas. Ao contrário, a substância, o vigor, restam inexoravelmente mutilados.
Um exemplo perfeito do afirmado encontra-se no conto O Alienista, do grande Machado de Assis, que foi desfigurado para torná-lo palatável ao século XXI, como afirma o escritor grapiúna Hélio Pólvora, em artigo publicado no jornal A Tarde.
Mencionada ilustração, pode-se encontrar aplicação reflexa em outras obras de ilustres escritores pátrios, como Euclides da Cunha, José de Alencar, Guimarães Rosa.
Iniludivelmente, singrarão nesse mar proceloso os nossos maiores poetas e mestres da retórica do ontem e do hoje, cujas obras caíram, como já referido, no domínio popular. Outrossim, os poemas encômios de Castro de Alves (Vozes D’África e Navios Negreiros) adquirirão colorido indesejável e sintaxe anômala.
E o que dizer do estilo indireto, rico, mavioso e sublime de Pe. Antônio Vieira, contido no famosíssimo “Sermão para o bom sucesso das armas portuguesas contra os holandeses”?
Outros tantos exemplos configurativos podem ser dispostos, tais como, o parnasiano Olavo Bilac, o prolixo Ruy Barbosa e o invencível argumentador Tobias Barreto.
De Bilac, retire-se qualquer martelo ou cinzel em suas admiráveis rimas preciosas, saídas da forja parnasiana. Por isso mesmo preserve-se a riqueza polifônica do seu soneto Língua Portuguesa, em sua primeira estrofe:

Última flor do Lácio, inculta e bela,
És, a um tempo, esplendor e sepultura:
Ouro nativo, que na ganga impura
A bruta mina entre os cascalhos vela...

Transplantando a realidade nacional para a grapiúna, como justificar as emendas em joias literárias dos seguintes autores: Sosígenes Costa, Valdelice Pinheiro, João Hygino Filho, Edgar Sousa, Plínio de Almeida, Nathan Coutinho, Firmino Rocha, Abel Pereira, Gil Nunesmaia e Telmo Padilha?
Não seria mais fácil aos dirigentes pátrios a adoção de políticas públicas visando o revigoramento da educação e cultura nativas?
Isso posto, seriam constituídos inúmeros centros culturais pelo nosso interior, incentivado o hábito da leitura e construído o cimento do respeito aos cânones da nossa literatura regional.
Nesse bojo coetâneo, assumiria relevo o magno papel dos dicionários. Assim sendo, não mereceriam as obras primas nenhuma poda, atualização linguística ou semântica, resguardando-se ideias, forma, estilo, principalmente daqueles que estão sob a rubrica domínio público.
É o que acontece em outros quadrantes geográficos. Em França, Inglaterra e Portugal, ninguém ainda ousou mutilar Balsac, Baudelaire, Victor Hugo, Milton, Oscar Wilde, Shakespeare, Camões, Eça de Queiróz, Camilo Castelo Branco ou Almeida Garrett!
Destarte, o patrimônio cultural de um país resta intocado. Certamente, esse seria o desejo de todo atento leitor brasileiro.

Fonte: ALITA

        

0 comentários

Postar um comentário

Recomende este blog!!!

Postagens populares

Divulgando Trabalhos Literários (Livros,Contos, Crônicas)

"Divulgando Trabalhos Literários (Livros,Contos, Crônicas e Poesias)"

Minha lista de blogs

bookmark
bookmark
bookmark
bookmark
bookmark

Diário Online

Diário Online
rilvan.santana@yahoo.com.br

Perfil

Perfil
Administrador

Estatística Google (Visualizações)

Google Tradutor

PARCERIAS

Bookess

ABL

R. Letras

DP

Links de livros, crônicas, contos, cartas, etc.

Links de livros, crônicas, contos, cartas, etc.
Tecnologia do Blogger.